PAÍS MAIS DEMOCRÁTICO NA AMÉRICA LATINA

O URUGUAI TEM UMA HISTÓRIA RECONHECIDA DE ESTABILIDADE POLÍTICA E SOCIAL

POR QUE

URUGUAI

A porta de entrada natural ao MERCOSUL

Conhecida como Suíça da América, o Uruguai é um destino seguro para os investidores dos mercados emergentes que buscam equilibrar riscos com rentabilidade. Sua localização estratégica ente Brasil e Argentina e sua porta de entrada (natural) marítima no Oceano Atlântico, juntamente com a aliança comercial do Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), fazem com que o Uruguai se transforma na plataforma logística ideal para projetar negócios , com um potencial de mercado de 270 milhões de pessoas com a maior per capita do continente.
O Uruguai conta com o maior índice de alfabetização (98%), a mais alta classificação em termos de disponibilidade de modernas telecomunicações (internet e telefonia móvel e fixa) e o menor nível de corrupção da América Latina. Tem uma história politica reconhecida por seus governos democráticos (país mais democrático da América Latina segundo The Economist) e de estabilidade social. Também é conhecido por seu respeito ao Estado de direito e pela independência do seu poder judiciário.

MAIS

Desde o ano de 2004 o PIB do Uruguai vem apresentando um crescimento sustentável e robusto que continua superando as expectativas (para 2010 se espera que cresça 7,8%), apoiado em solida politicas macroeconômicas aplicadas consistentemente por governos de diferentes orientações ideológicas e batendo seguidos recordes nas exportações que triplicaram nos últimos 6 anos. Esta perspectiva positiva tem levado os players do mercado a apostarem que o Uruguai em breve recuperará o grau de investimento que perdeu 2002 em meio á sua pior Crise econômica - financeira.

Abertura e promoção do investimento estrangeiro

O Uruguai reconheceu o importante papel que os investimentos estrangeiros desempenham em seu desenvolvimento econômico e por isso trabalha para manter um clima favorável para fomentar e atrair capitais estrangeiros. Segundo a lei uruguaia os investidores estrangeiros e nacionais são tratados como iguais para quase todos os fins; não se requer previa autorização para investir, nem tão pouco existe qualquer restrição a entrada e saída de capital (incluindo a remessa de lucros), a compra de moeda estrangeira é libre e se realiza em taxa de mercado. No Uruguai se permite que uma empresa seja propriedade 100% de estrangeiros.

O governo uruguaio aprovou por sua vez uma regulamentação integral de promoção de investimentos que criou procedimentos simplificados mediante os quais os investimentos podem receber isenções fiscais importantes com base em critérios objetivos e transparentes. Um mecanismo de centralização se estabeleceu para canalizar todas as solicitações de investimentos. .

O governo uruguaio aprovou uma regulamentação integral que criou procedimentos simplificados mediante os quais os investimentos podem receber isenções fiscais importantes com base em critérios objetivos e transparentes. Um mecanismo de centralização se estabeleceu para canalizar todas as solicitações de investimentos. Outras garantias oferecidas aos investidores no Uruguai são derivadas da participação na Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI), juntamente com a ratificação da Convenção de Berna e a Convenção Universal sobre os direitos autorais , bem como a Convenção de Paris para a proteção de propriedade industrial, o pais é pertencente ao Centro Internacional de Acordos de Diferenças Relativas a investidores ( CIADI).

Principais Oportunidades de Mercado

Uruguai é uma economia orientada a agro- exportação. No passado recente, as vantagens comparativas do País em termos de terra, posição e bom clima, combinado com o aumento de preços internacionais dos commodities, levaram a resultados históricos nos investimentos no setor agrícola . As exportações de produtos tradicionais como a carne, cereais, produtos laticínios, lã e couro subiram. O aumento dos preços de soja revolucionou a agricultura do Uruguai; os novos projetos com os citros, frutas, mel, blueberries, entre outros, se refletem nas oportunidades de negócios constantes que surgem a cada dia neste setor.

Por outro lado, o capital estrangeiro cresceu de forma exponencial no desenvolvimento da produção mineral do País, como também a indústria florestal tem recebido investimentos extraordinários, especialmente na produção de celulose. Fábricas de água mineral também foram seduzidas pelo Uruguai e apostaram com fortes investimentos, especialmente baseadas em estudos recentes que preveêm que a água irá ser um recurso limitado nos próximos anos, contribuindo assim para promover o potencial de rentabilidade do negócio.

A localização estratégica do país, juntamente com os benefícios tarifários do MERCOSUL, a posição do Uruguai como um centro de logística para o armazenamento, transporte, fabricação e distribuição de bens e serviços, apoiando as enormes necessidades do mercado brasileiro e argentino, são a chave para o desenvolvimento econômico. Além de ser o mais profundo porto natural do Rio da Prata, o Porto de Montevidéu é o primeiro e único porto da América do Sul operando sob regime de “Porto Livre”. Portanto, as empresas de logística são capazes de fornecer serviços no porto de Montevidéu, contribuindo assim para a carga e descarga, mobilização, transporte, redirecionamento, trânsito, armazenamento, entre outros, das mercadorias. Embora o Porto de Montevidéu seja o principal porto do País, a região costeira ,especialmente o porto Novo Palmira, está experimentando um crescimento forte e marcado, através do desenvolvimento da hidrovia Paraná- Paraguai. Esta hidrovia de 3.442 km de extensão, liga o centro da América do Sul até a costa do Atlântico, atingindo Brasil, Argentina, Paraguai, Bolívia e Uruguai.

Além disso, as zonas francas também contribuíram para o crescimento emergente da economia uruguaia. Estas zonas estão isentas de impostos existentes (ou futuros) e todos os impostos e direitos aduaneiros decorrentes da introdução de mercadorias nesses territórios. Assim, essas áreas se tornaram plataformas de negócios autênticas, tais como centros de serviços compartilhados, sedes regionais, serviços financeiros, contact center, desenvolvimento de software, soluções de TI, logística e centros de distribuição.

Por outro lado, projetos de infraestrutura tiveram um forte impacto na economia do Uruguai, especialmente na reabilitação e modernização de ferrovias, e projetos de energia renovável, como a energia eólica. O governo uruguaio estabeleceu como política de estado o desenvolvimento da infraestrutura do país como um dos seus principais objetivos. Enfatizou-se a importância de fortalecer a segurança energética e reduzir sua forte dependência de recursos importados (o país não tem reservas de petróleo). Para estes fins, já existe um acordo para investir 25% a 50% dos ativos de fundo de pensão (AFAPs) em projetos de infraestrutura, e está sendo estudado um novo quadro jurídico para a associação de capital público e privado , especialmente para promover projetos de desenvolvimento de infraestrutura. Estas duas medidas irão conduzir o dinamismo econômico, enquanto oferecem à comunidade estrangeira uma oportunidade de investimento atraente e uma melhor alternativa de investimento.